sábado, 31 de janeiro de 2009

Quando me vem a vontade de gritar!


De dia se corre atrás do pão de cada dia.
À noite estamos prontos para resolvermos o problema da carne.
Ontem depois do trabalho sai pra beber. Era fim de tarde já.
Duas horas depois estava sem minha dignidade e fui pra casa.
Chegando em casa, pratiquei mais três verbos apenas: vomitei, deitei e dormir.
Quando foi as duas da manhã acordei. Fiquei aceso dentro de casa. Com uma vontade doida de sair novamente. Com uma vontade de conversar e nessas horas é péssimo morar sozinho. Só nessas horas.

A luta então começou: andei pela casa de um lado para o outro no escuro (quem bebe sabe o porquê da escuridão). Peguei o livro pra ler, liguei a Internet , fiquei vendo a t.v desligada e nada de me aquietar. Abri as janelas do apartamento e fiquei a olhar pra fora. Lembrei de um trecho do livro de cartas do Caio F. Abreu que relata sobre essa questão da solidão de quem escreve:

“Uma pessoa que escreve sobre a vida - como quem olha de uma janela - mas não consegue vivê-la”

Se quer conhecer de fato os seu vizinhos vá para a janela as duas da manhã. Observando o comportamento humano relato que somos animais no instinto, com a diferença de que matamos por prazer. Vivenciei o que as pessoas vivem vendo nos reality show.Lembrei na hora do que Henry Miller diz:


"Se todo mundo pudesse ser espionado, investigado, interrogado, acareado,forçado a confessar,em sua honesta opinião,estaríamos todos na cadeia.."

São quatro da manhã e me dispus a escrever. Escrevendo me vem o alívio do desabafo. Escrevendo deixo de ser múmia, zumbi e me sinto acordado.
Escrevo quando me vem a vontade de gritar.

2 comentários:

Liz disse...

Aqui são 1 da manhã... veio a vontade de gritar... chorar! corri p MSN p vê se te achava online... Ah meu amigo, somos tão "entendedores" um do outro...
Valeu, escutar meu choro...

antonio disse...

Tenho a certeza sempre que vc esta por perto. Mesmo longe. Descansa e demora dentro de mim.