quarta-feira, 27 de maio de 2009

A idéia é a rotina do papel


Tomando uma xícara de café expresso, num bar de esquina, num breve instante, num milimétrico segundo, pensei na doideira de viver na rotina. Sempre odiei viver dias iguais e acabo chegando a conclusão de que ela é importante. A rotina é simples e na modernidade é difícil ser simples. Legal é falar que esta fazendos mil cursos, dezenas de atividades físicas por semana. Fingir que estar sempre falando ao celular (e acreditem,tenho amigos que fazem isso) e mil coisas ainda pra comprar. Eu não vivo assim. Mas vivemos de desejos sem fim. Mas é foda assumir ares de dono da razão, esses que tomam conta dos idiotas que constroem um mundo visto pelos olhos de quem só vive contabilizando as vitórias de seu desejo. Viver nao é facil. Nem morrer (rs).
Alguns dicionários afirmam que a rotina é o “caminho percorrido e conhecido, em geral trilhado maquinalmente” ou “seqüência de atos ou procedimentos que se observa pela força do hábito” ou ainda “uso, prática, norma geral de procedimentos”.
Hoje, consigo estabelecer uma ordem para minha vida, consigo estabelecer uma rotina, satisfatória que me faz ter o controle sobre meus atos. E se eu perco a cabeça, e se eu me atiro nos corpos é porque desejo. É porque nada me prende. E olha que talvez eu gostaria de estar preso.

Nenhum comentário: