segunda-feira, 26 de julho de 2010

Eu quero ir pra Jacumã...




Preciso escrever. Cheguei do trabalho e... um tanto quanto confuso com tantas coisas que o acaso vem colocando na minha vida resolvi ir até a porta da geladeira e dar start ao meu estoque de cervejas. Estou altinho pra escrever, contudo confesso que as palavras saem mais livres agora. Estou tonto pensando nas coisas que passam na minha vida. Já nem sei o que ta acontecendo comigo, tem pedras demais no meu caminho. Mas pra mim tanto faz ter pedras ou não... Tudo que quero é ficar paradinho em algum lugar pra tentar entender isso tudo. Não vejo problemas em ter pedras... não vou fingir que o horizonte termina ali...tem muita coisa pra acontecer. Preciso reinventar meu espaço. Ainda sei que não chegou o fim. Um fim de alguma dor talvez.

Preciso sair de cena, me livrar de tudo e lembrar que vale a pena rir de tudo e quem sabe até me benzer? Amanhã bem cedo ,quero caminhar ao sol, me deixar levar e falar apenas de coisas boas. Eu sei inventar um monte de histórias e fantasiei realidade demais. O meu maior problema tem sido esse. Precisei apenas de um sinal seu. Mas você não deu conta. Agora estou sozinho no novo caminho. Tenho uma quase certeza que não daremos mais juntos. É preciso que eu sofra e talvez também você neste momento. Nossos sonhos não batem e preciso seguir... não vai ter mais beijo, não vai ter mais o amor, por conta dessa quase certeza que tenho comigo. Eu to tonto. Queria os meus sonhos de volta. Queria ouvir aquela sua música sobre Jacumã. Alias vou ouvir agora...perai:


Eu só quero ver a onda leve subindo e descendo

E eu tbm com ela subindo e descendo...

Nada de me disse e me disse

Tudo na paquera...

Amor não é tolice ...conversar já era.

Vou pra já ...pra já pra Jacumã!


Nem sei se você vai passar mais por aqui. Eu não sei mais te entender, vou mudar nossa canção e todas as canções que me traz você. Maria Gadú eu te odeio! Nunca mais vou lhe ouvir. Porque você cantou o amor que eu desejava. Espero que o tempo cure isso. Porque é preciso seguir em frente. Tenho tanto pra dizer mas as palavras não saem. Me perdi demais e nem sei o que fiz. É desamor mesmo ,só pode. Mas agora eu to livre...vou procurar por mim primeiro.

Espero que você não esqueça que tentei. Que eu desejei você em todos os momentos da minha vida. Tentei te entender por demais da conta. Nossos risos e nossos momentos de ficar na nossa eram tão sinceros. Digo que tentei e tenho quase certeza que esse é o caminho certo para a nossa plena felicidade. Quero postar isso ainda agora pra ser legitimo, pois amanha com certeza irei apagar esse texto. Essa vida minha que vai me trazer sossego e sei que nada vai tirar o meu descanso. Preciso de luz, de alivio. Quero amanhecer pensando em nada.

Pode ser assim?

Um comentário:

Janaína Cruz disse...

Diga, e como acordou hj? Isso me fez lembrar "Trocando em miúdos" do Chico...
"Eu bato o portão sem fazer alarde
Eu levo a carteira de identidade
Uma saideira, muita saudade
E a leve impressão de que já vou tarde"
Te amo, isso resolve um pouco?