terça-feira, 19 de abril de 2011

A terrível condição humana de ser único


São 03h33min da manhã e ainda estou acordado. Estou com dificuldades de respirar sendo preciso forçar uma respiração para que ela aconteça. Meus braços estão formigando e vez ou outra sinto que meu coração pulsa ora fraco, ora rapidamente. Pois é; não estou nada bem nessa madrugada. Nessa hora bate uma espécie de desespero: ligar pra quem uma hora dessas da manhã, se minha família ta toda em Belo Horizonte?

Nesse momento me bate um medo, um certo desespero. E logo eu que não sou um homem de sentir medo, estou aqui preocupado com essa estranha sensação que cansa todo o corpo. Passei o dia todo com uma sensação estranha eu diria na alma. Uma certa inquietação, uma estranheza com todo mundo, se pudesse ficaria em casa sem fazer literalmente nada. Deixando a dor passar... Mas não passou, apenas foi aliviando aos poucos e mesmo em casa a noite sentia exatamente que meu coração iria parar de bater a qualquer momento. Estranho esse mesmo coração que se divertiu tanto neste fim de semana vir a bater dessa maneira. Este coração que sorriu, dançou e amou e fez bobagens por todo domingo, esse coração que ligou hoje pra saber como estava e teve o cuidado de não se passar como apaixonado. Era pra estar batendo mais forte, era pra jorrar sangue pra todo o corpo. Era pra dar na cara de todos que eu estou bem, podia ele, o coração rasgar a pele e pular pra fora. Agora esta chovendo lá fora. Bate um lirismo uma vontade de chorar, mas não vai vir choro. Tento e não consigo e não me conformo em não conseguir chorar. Estou cansado e acreditando que posso morrer.

Morrer é coisa tão séria...

“A idéia de morte purifica e desempenha a função do jardineiro, que arranca as ervas daninhas do seu jardim. Mas esse jardim quer sempre estar sozinho e se aborrece se os curiosos olharem por cima do seu muro. Também eu escondo a minha figura por detrás da minha sombrinha e do meu leque, para que a idéia de morte possa desenvolver tranquilamente dentro de mim” Sissi, a imperatriz

Dor fique boazinha e me deixe dormir, vou me preparar para responder todas as perguntas do médico, caso ainda tenha mais oportunidade de viver. Na consciência já surgem algumas ordens: preciso parar de beber, preciso praticar exercícios físicos, preciso não levar as coisas tão a sério; preciso ter calma, pois não adianta pensar 24 horas nos problemas que eles não se resolvem assim. Preciso parar de achar que a culpa pelas metas não alcançadas na minha loja é minha.

Quero muito deitar, relaxar e concentrar com serenidade no meu papel no mundo. Não vou realizar agora o juízo final da minha vida nem fazer um mini flash back da minha existência. Quero acreditar que sou um homem que se assumiu capaz de ter um caso de amor com a vida. E não me recorro a vida dita feliz e sim a vida tal como ela deve ser.

Vou tentar dormir, até amanha, até um dia, até quem sabe...

... e ainda estou acordado e preocupado; são 05:00 da manhã

4 comentários:

blogdojunin disse...

vc não eh o único, todos chegamos nesse ponto quando pensamos demais, esse eh um principio da filosofia que surgiu por causa do ócio grego, quando você pensa demais sobre a origem da morte ou vida, vc enlouquece, por mais que seja apegado a uma religião. vc deve procurar algo para se distrair sempre, por mais infantil que seja, tente ligar seu PC de madrugada para jogar jogos em flash ou simplesmente assista TV, a irracionalidade nos afasta desses pensamentos, faça o que eu digo e sempre ficará tudo bem pois quando o ócio aparecer esses pensamentos ficaráo mais intensos e constantes.
Ah, vc vai continuar pensando nisso pelo resto da vida então se cuide cara.

blogdojunin disse...

por um quadro clínico vc teve algum problema no coração, pode ser fator genético ou simplesmente depressão, sinceremente procurar ajuda psiquiatrica não eh tão recomendável pois os remédios que te passam, podem causar efeitos irreversíveis, isso normalmente, sem tirar os riscos de overdose e efeitos colaterais.

Turi disse...

Hello congratulations on your blog, is full of interesting content, please visit also my thanks http://www.youturi.blogspot.com

Antonio M. Athanazzio disse...

É meu caro, como diz Guimaraes Rosa..."viver é muito perigoso". Não tenho tv em casa, não gosto de ver t.v. Mas pensarei sim em ocupar minha mente com outras tarefas...Valeu pela dica, era apenas uma disritmia cardiaca proveniente de um stresse. Abraço a todos!!!